Resenha: Doutor Fausto (Thomas Mann)

capa Dr fausto

A resenha deste mês de março para o Desafio dos 12 livros para 2017 é do livro Doutor Fausto do Thomas Mann.  A primeira ressalva que faço é que não leiam a sinopse, pois a mesma contém tudo o que não queremos saber de inicio. Sim, trata-se de spoilers e isso acaba que deixando a leitura que já não é tão simples, um pouco frustrante. Mesmo contendo relatos simples ela aborda momentos da vida do personagem principal (isso é relativo) Adrian e o pacto que ele supostamente faz com o demônio para que sua obra seja grandiosa, em troca de sua alma. Automaticamente relança a ideia do mito alemão de Fausto, e as referências artísticas que surgiram ao longo do tempo.

Doutor Fausto é narrado por Serenus, amigo do protagonista. Assim como todo livro grande (lado fisico da coisa), a ideia por trás dela também é. Usando esta temática de venda da alma em troca de algo, Thomas Mann força ao leitor linkar sua obra com o fatídico caso ocorrido durante a Alemanha Nazista, onde os alemães venderam as suas próprias almas ao partido nazista. Nos passa a impressão a todo instante essa compulsão pela perfeição e o momento travado entre o personagem Adrian e o demônio aprofunda mais a visão dessa busca pela perfeição estética muitas vezes em detrimento da moral.

E isso como todos sabem terá um preço a ser cobrado mais cedo ou mais tarde. O diálogo que fora estabelecido entre Adrian e o Demônio é tremendamente a parte mais fantástica que tem no livro. Na minha edição da Companhia das Letras ele começa na página 261 e termina na 290. Temos então o que poderíamos chamar de apogeu do personagem sem contar a repercussão durante seu declínio físico, quando o pacto começa a ser “cobrado”.

Doutor Fausto é denso, de leitura extremamente técnica que muitas vezes estamos diante de vários termos e expressões ligadas a música clássica erudita, o que torna ele uma obra altamente poética e filosófica. O livro traça um levantamento sobre música clássica, sobre notas, instrumentos e outros aspectos da música que chegava a ser um sofrimento para mim de tão técnico que era.

Gostaria de pode dizer mais sobre ele, mas o menos é mais nesse caso. Obrigado pela leitura!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s