Resenha: Madame Bovary (Gustave Flauber)

capaO livro Madame Bovary conta a história de Emma Bovary, que mora no interior da França e sonha com a vida em uma grande cidade. Assim como todas as mulheres daquela sociedade interiorana Emma nasceu e foi criada em uma fazenda, logo casa-se com um médico, homem simples e sem ambições fazendo com que Emma não seja feliz em seu casamento buscando em outros homens o desejo de viver uma paixão verdadeira. O livro esta dividido em três partes, narradas por um suposto colega de estudos de seu marido. Cada uma delas trata de fases distintas da vida da personagem.

Na primeira, Emma jovem sonhadora, mora com seu pai em uma fazenda, casa-se com o jovem médico da província que de início ela se encanta, mas se decepciona com a vida que ele lhe oferece. Já na segunda parte, temos a jovem Emma de mudança para outra cidade e as vésperas de ter o seu bebê. Vivendo um romance tórrido com outro homem, ela se vê perdida em mentiras e faz com que a sua história entre na terceira parte do romance com a derrota de seus sonhos e a ruína de sua moral e seu patrimônio. Por ser a personagem central, Ema é mulher igual a todas as outras, tem seus desejos pelo romance, pela paixão, quer mudar de vida, ser mais glamorosa, endividando-se para enfeitar a si e sua casa em nada difere do modo de vida atual, com o apelo para o consumo para o qual os meios de comunicação nos encaminham.

Por ser um romance atemporal escrito no século XIX, o autor consegue descrever a alma feminina com clareza e se apodera dela com maestria. O narrador descreve sem piedade também os outros personagens, retirando deles qualquer vestígio de romantismo. A maneira que Flaubert apropriou-se da narrativa deste livro foi uma coisa incomum. O que para o período atual tornou-se mais comum este tipo de abordagem.

flaubertGustave Flaubert nasceu na França, Ruão, em 12/12/1821 e morreu em 08/05/1880. Filho de um médico, estudou no Colégio Real. Com 15 anos escreveu um drama em cinco atos, “Luis XI”. Nessa idade apaixonou-se por uma mulher onze anos mais velha, que foi, provavelmente, seu único amor, e com quem nunca teve um romance. Escreveu vários livros, sendo Madame Bovary o de maior sucesso, embora censurado pelo governo francês. Livros publicados: “A Educação Sentimental”, “A Tentação de Santo Antão”, “Bouvard e Pecuchet”, “Salammbô”, “Um coração Singelo”, entre outros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s