Resenha: O menino do pijama listrado (John Boyne)

capa

Oi galera! Este é o terceiro livro que li este ano e como já estou participando dos 12 livros para ler em 2016 também estou intercalando com outras leituras. Sorteei em minha TBR e o livro escolhido foi O menino do pijama listrado. Então sem mais delongas iniciarei os trabalhos.

O livro é surpreendentemente curto e demanda poucas horas para que sua leitura seja finalizada. Antes de iniciar a leitura como de costume fui ler um pouco sobre o autor John Boyne, uma vez que nunca havia lido nada dele e vi que ele tinha escrito O menino do pijama listrado em dois dias e meio. Caramba, isso sim é vontade de escrever!!! Nota-se que a obra têm uma escrita objetiva e que passa para o leitor o que ele realmente espera de um bom livro, clareza.

Já no primeiro capítulo conhecemos o protagonista Bruno, um garoto alemão de nove anos que mora com sua família em Berlim no ano de 1940. Resumindo, o pai dele é soldado, sua mãe é dona de casa e sua irmã mais velha é a sua pedra no sapato. Bruno como todo menino de sua idade tem seus problemas e angustias. Na verdade um dos seus maiores problemas é a mudança de casa, enfrentada já no inicio do livro. Bruno muda-se para sua nova casa (num determinado lugar que não direi) deixando para trás seus dois avós e três (in) separáveis amigos.

A primeira coisa que notamos na leitura é a leveza que John Boyne escreveu esta obra, temos uma noção de tudo que se passa no dia-a-dia da família de Bruno através do olhar do protagonista e mesmo esse sendo um olhar inocente e despretensioso o leitor consegue imaginar que a realidade vivida por Bruno e sua família não era nem de longe, tempos tranquilos.

De cara Bruno detesta sua nova casa. Lá não existem vizinhos, amigos, a movimentação das ruas de Berlim enfim, ele fica totalmente desolado e as únicas pessoas que ele tem contato é uma criada que trabalha para seus pais. Ao olhar pela sua janela de seu quarto que ficava no andar superior, Bruno observa que há uma enorme cerca que separa sua casa de um enorme campo onde pouco mais distante existiam várias tendas e muitas pessoas jovens e adultas que moravam lá, além dos soldados, todos transitando neste enorme terreno. Apesar de seus nove anos Bruno não sabe nada sobre o Holocausto e quem são os judeus.

frase

Diante de vários dias ociosos, Bruno decide explorar o novo local e sai em busca de aventura. Anda por toda a extensão da cerca e quando já estava bem distante de sua casa ele avista um pequeno garoto judeu chamado Shmuel . Eles se apresentam e passam ter contato por longos períodos, ou melhor, várias tardes isso sempre após as aulas que Bruno tinha como seu professor particular (que por sinal é um pé no s…).

Bem, passado algum tempo eles descobrem que tem algumas coisas em comum e tudo daqui pra frente toma um novo rumo… E não posso mais falar… Como disse no inicio o livro é curtinho e surpreendente.

Obrigado pela visita e até a próxima!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s