Resenha: Viver para contá-la (Gabriel García Márquez)

capa

Oi galera, hoje estou resenhando sobre o livro que mais demorei para finalizar sua leitura, não por ele ser chato, entediante ou coisa parecida, mas por não tê-lo em formato físico o que me custou mais paciência do que o normal.

Viver para Contá‑la é o relato e a recriação de um tempo crucial na vida de Gabriel Garcia Márquez. Márquez rememora boa parte de seus anos de infância e juventude, ele remonta de forma ímpar todas as passagens de sua vida neste período. Período crucial que serviu como base para a fundação do seu imaginário como escritor e que veio a dar lugar a alguns dos contos e romances fundamentais da literatura em língua espanhola do século XX. Para esta passagem ele recorda:

Até à adolescência, a memória tem mais interesse no futuro do que no passado e, portanto, as minhas recordações da aldeia não estavam ainda idealizadas pela nostalgia. Recordava‑a como era: um lugar bom para viver, onde toda a gente se conhecia, na margem de um rio de águas transparentes que se precipitavam por um leito de pedras polidas, brancas e enormes como ovos pré‑históricos. (Viver para contá-la; Gabriel García Márquez).

Em seu livro de memória, García Márquez traz várias lembranças do seu período na escola e faculdade, descobre ecos de personagens e histórias que povoaram obras como Cem Anos de Solidão, O Amor nos Tempos de Cólera, Ninguém Escreve ao Coronel ou Crônica de uma Morte Anunciada e que convertem Viver para Contá‑la num guia de leitura para toda a sua obra, um acompanhante imprescindível para iluminar passagens inesquecíveis que, depois da leitura destas memórias, adquirem uma nova perspectiva.

Ele também expõe as dificuldades que passou neste período. De família humilde, sempre teve dentro de casa o preconceito por desde pequeno já ter afinidades como escritor. García Márquez volta neste período turbulento de sua vida e trabalha com a memória dos seus anos de infância e juventude, com uma perspicácia e requinte de detalhes que fica fácil adentrarmos em seu universo. Viver para Contá‑la converte‑se também num guia de leitura para toda a obra do autor, um acompanhante imprescindível para iluminar passagens inesquecíveis que, depois da leitura destas memórias, adquirem uma nova perspectiva. O romance de uma vida.

frase

Ficamos por aqui com esta pequena resenha. (sem spoiler) e como não poderia deixar de ser., aguardo vocês no próximo post! Obrigado

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s